XC dos Macacos – Maratona de Revezamento

Conceição de Ibitipoca foi cenário de mais um evento esportivo neste último final de semana com o XC dos Macacos – Maratona de Revezamento, que levou 200 atletas pelas trilhas da região, com categorias Solo, Dupla e Quarteto.

O campeão da categoria Solo, com tempo de 3h47min, foi César Henrique Picinin, de Barbacena. “Achei super legal, principalmente por ter, além do solo, os revezamentos, é sempre gostoso correr tendo amigos na prova! Foi uma prova muito boa dentro do que era possível pelas montanhas e terrenos que Ibitipoca oferece, cumpriu com tudo que era prometido, não falhou em nada a meu ver.”

Picinin chegou de Portugal no dia 8, onde participou da “Peneda-Gerês Trail Adventure”, uma prova de 8 dias que totalizou cerca de 260 km, terminando em 3º colocado geral e dividindo o pódio com atletas de renome do trail run internacional.

Cesar H. Picinin e Claudia Nogueira, os campões da categoria Solo.
Cesar H. Picinin e Claudia Nogueira, os campões da categoria Solo.

“Voltei bem cansado e nos três treinos que fiz na semana pré XC Macacos senti que ainda estava bem detonado. Vim para me divertir e curtir, mas consegui render muito além do que esperava e o clima ajudou bem! Agradeço muito ao meu treinador Geraldo Abreu Junior da Funcional Trainer que tem conseguido me preparar para esses desafios tão pesados e me ajudando a evoluir! E um abraço à minha equipe Go On Outdoor Team!”

Já quem levou a melhor no Solo feminino, com tempo de 4h56min, foi Cláudia Nogueira, atleta de Ouro Preto, “o percursos além de belo foi desafiador, pois não faltou subidas, descidas e trilhas mais técnicas. Organização comprometida com os atletas, boa hidratação e alimentação. Ficou devendo somente nos isotônicos. Assim como eu, sei de muitos atletas que tiveram câimbras! Mas voltarei novamente em outra oportunidade e indico aos amigos”.

Cal, como é chamada pelos amigos, corre há 5 anos e há três anos vem conquistando vários pódios no trail run nacional e diz que a experiência no trail faz diferença. “Experiência ajuda e muito, o corpo vai estar mais preparado para o tipo de terreno, nas subidas e descidas. Um atleta experiente sabe o que tem que fazer para finalizar bem a prova”.

O organizador do evento, Carlos Roberto Zanini, também conversou com a gente sobre a prova, “Foi um projeto piloto que atendeu as nossas expectativas, a ideia de fazer esse evento foi levar aos atletas a possibilidade de correr uma prova difícil nos mais variados níveis, por isso o revezamento. Acho que nosso objetivo foi alcançado e nosso projeto maior é valorizar a região como local de prática esportiva”.

A lista com os campeões de todas as categorias e as classificações você encontra aqui.


 

O QUARTETO ‘ATITUDE SAUDÁVEL’ E A MENINA SUPER+AÇÃO

O quarteto formado pelas atletas Flavia (54), Thais (33), Lu (43) e Roberta (42) completou a prova na terceira posição.

Flávia Pureza Leonel, praticante de corrida há 5 anos, diz que sempre preferiu o trail run, “Gosto do terreno e da paisagem, já que sou amante incondicional da natureza. Achei a prova muito boa, meu trecho foi bem marcado e tudo estava bem organizado! Estou ansiosa para o ano que vem”.

Luciane Moreira, que conheceu o trail run através de Flávia, diz por que prefere esse tipo de prova: “São provas que nos levam aos limites de superação pessoal tanto físico quanto psicologicamente e isso me faz querer superar mais e mais estes limites. E ainda se tem o privilégio de estar em contato com a exuberância da natureza que existe nestas provas” E completa “a prova toda foi top de mais”.

O Quarteto
Flávia, Roberta, Thais e Lu.

Roberta Boechat é atleta do mountain bike, mas agora aderiu às corridas. Uso a corrida como hobby, curtindo com as amigas. Na corrida presto mais atenção em mim do que quando estou na bike, cuidando para não pisar em falso, por exemplo. A bike e meu acompanhamento no Studio, musculação e funcional, tem sido fundamentais para minhas atividades”.

Thais Matioli e Silva pratica trail run há seis anos e dessa vez optou por fazer a prova em quarteto. “Gosto de correr provas longas de trilhas, mas dessa vez resolvi correr quarteto para incentivar as amigas que estão aderindo à modalidade”. Não satisfeita em fazer apenas o segundo trecho, com aproximadamente 10 km, a atleta acostumada a percorrer grandes distâncias, continuou o restante do percurso até o final da prova. “Decidi continuar a prova para estimular minhas parceiras. Desta forma, também realizei meu objetivo que era percorrer uma longa distância, no total foram 32 km, desafiando meu corpo, meu cansaço e minha mente”.

Thais, que já participou de várias corridas, elogiou o nível da prova: “Foi muito boa, bem sinalizada, exigiu atenção o tempo todo – tanto para as marcações quanto o cuidado em relação ao terreno. Uma corrida na serra de Ibitipoca é sempre dura, exige treino, preparo físico e um ótimo exercício da mente para vencer o cansaço e as dores. Ano que vem estarei lá para correr a prova solo, se Deus quiser! Essa adrenalina toda me motiva!”.


 

PARCEIROS NA CORRIDA E NA VIDA

O casal Roberto Modesto de Carvalho, 37, e Mariana Corrêa Lima Novaes, 33, correm juntos há um ano. Essa foi a primeira meia maratona (21k) de estilo cross country que correram juntos e optaram pelo revezamento em dupla, porém em duplas separadas para que pudessem fazer o mesmo trecho juntos.

Mariana e Roberto.
Mariana e Roberto.

“Optamos pelo mesmo trecho para ter a companhia e o apoio um do outro durante o percurso. Foram os nossos primeiros 21 km em uma prova Cross Country e saber que estaríamos juntos durante todo o percurso foi um incentivo a mais. Nos sentimos mais seguros e motivados quando estamos juntos.”

A parceria foi fundamental para que eles completassem o primeiro trecho do revezamento.

“No km 17 tive câimbra na panturrilha e precisei caminhar. Caminhamos juntos por alguns minutos até o meu restabelecimento e conseguimos concluir a prova”, disse Mariana.

“Durante os treinos para a prova fui acometido por uma lesão no joelho esquerdo. A dor e o cansaço foram grandes. Durante o percurso as palavras de incentivo me deram forças para continuar. Estar ao lado dela me fez querer completar esse desafio, vencer as dificuldades do percurso. Estar ao lado dela me faz mais forte, na corrida e na vida!”, completou Roberto.


 

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO EVENTO.

Texto e Fotos: Danylo Goto. © 2016. Danylo Goto / Super+Ação Esportes. All rights reserved.

Deixe um comentário