Licopeno: tudo o que você precisa saber

O licopeno é um poderoso antioxidante que protege nossas células contra os efeitos nocivos do excesso de radicais livres, ajudando a reduzir o risco de doenças crônicas, inclusive alguns tipos de câncer.

Mas você sabe como obter o licopeno através da sua alimentação?

Então fica por aqui, porque vou te contar tudo o que você precisa saber sobre o licopeno, além de uma receita deliciosa e prática para você manter os radicais livres fora do seu organismo.

Radicais livres

Antes de mais nada, sabemos que a produção excessiva de radicais livres pode trazer diversas formas de dano celular e, sua cronicidade, pode resultar no surgimento ou desenvolvimento de numerosas doenças não é mesmo?

Por isso, a preocupação com a ação dos antioxidantes se tornou essencial à compreensão de algumas patologias, como o câncer por exemplo!

Mas para nossa sorte, as lesões celulares causadas pelos radicais livres, podem ser prevenidas ou reduzidas por meio de antioxidantes encontrados de forma natural em muitos alimentos.

Confira como!

Antioxidantes

Antioxidantes podem ser definidos como qualquer substância que, presente em baixas concentrações, neutraliza a ação dos radicais livres ou, ainda, participa indiretamente de sistemas enzimáticos com essa função.

Dentre os antioxidantes mais comuns, podemos destacar  a vitamina C, a vitamina E, a glutationa, o ácido úrico e os carotenóides.

Como alguns testes laboratoriais sugerem que os carotenóides (os corantes naturais dos alimentos) conseguem “sequestrar” e inativar os radicais livres de nosso organismo, eles são os antioxidantes mais indicados.

Para se beneficiar de suas propriedades, algumas das principais fontes naturais de carotenóides são:

  • tomates e produtos derivados, como extrato, polpa e molhos (licopeno);
  • cenouras e abóboras (a e b-caroteno);
  • espinafre (luteína).

Licopeno

O licopeno figura atualmente como um dos mais potentes antioxidantes, sendo sugerido na prevenção da carcinogênese e da aterogênese, devido à sua ação na proteção de moléculas como lipídios, lipoproteínas de baixa densidade (LDL), proteínas e DNA.

Predominante no plasma e nos tecidos humanos, o licopeno é encontrado em um número limitado de alimentos como tomates e seus produtos, além da goiaba, melancia, mamão e pitanga, sendo o responsável pela pigmentação de cor avermelhada.

Licopeno do tomate

Falando apenas sobre o licopeno do tomate, preciso destacar que sua concentração varia conforme o tipo e o grau de amadurecimento do mesmo.

As espécies de tomate têm variação de cor entre o amarelo e o vermelho alaranjado, em razão da proporção de licopeno/beta-caroteno da fruta, que também está associada com a presença da enzima beta-ciclase, a qual participa da transformação do licopeno em beta-caroteno.

Segundo Giovannucci, por exemplo, o tomate vermelho maduro contém maior quantidade de licopeno que de beta-caroteno, razão da cor vermelha predominante do fruto.

Em relação à biodisponibilidade, verificou-se que o consumo de molho de tomate aumenta a concentração de licopeno em taxas maiores do que o consumo de tomates crus ou suco de tomate fresco.

Além disso, a ingestão de molho de tomate cozido em óleo (preferencialmente azeite) resultou em um aumento de 2 a 3 vezes da concentração sérica de licopeno um dia após sua ingestão.

Suco de tomate

Sim, você leu direito! Suco de tomate… Eu sei que colocar tomate como ingrediente de suco é um pouco estranho, né?

Nós nos habituamos com o tomate em salada, cozido, assado ou em forma de molho.

Mas um suco de tomate geladinho, por mais estranho que possa parecer, é uma delícia!

Então, que tal fazer uma receita incrível de suco de tomate? 

Confira esse post no perfil do Instagram do Super+Ação e aprenda essa receitinha prática, saudável e super deliciosa que eu fiz…

Eu nem acreditei que tinha tomate quando experimentei…

Conclusão

Em conclusão, posso afirmar que manter uma alimentação adequada, rica em frutas e vegetais, é muito importante não só como forma de prevenção, mas também como suporte ao tratamento médico.

No entanto, é preciso que haja variedade alimentar e uma sinergia entre os nutrientes provenientes para atingirmos resultados positivos para nossa saúde pois, certamente, um único alimento usado isoladamente, não será capaz de recuperar ou promover o estado de saúde.

Além disso, também é indispensável que haja respeito à individualidade bioquímica de cada um, daí a importância de um acompanhamento nutricional personalizado.

Gostou das informações? Fique ligado por aqui que sempre tem novidade para te ajudar a ter uma vida mais equilibrada e saudável.

Mas se quiser saber mais sobre o assunto, entre em contato comigo pelo WhatsApp ou através de meu perfil do Instagram.

Será um prazer conversar com você! 

Abraços e até mais.

Nutricionista Isabela Dariu

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.